Menu

Como planejar uma viagem de tênis

 triptennisEscolha o destino e boa viagem! (Foto: Ryan Smith /NPR)

Dezembro é o mês em que o tênis tira merecidas férias! Enquanto os jogadores se preparam para a temporada 2014, que tal você também se planejar para as suas próximas férias? Quer descansar na praia e aproveitar o sol, passear num clima ameno de meia estação ou curtir o friozinho no hemisfério norte?

Tirar alguns dias de folga é sempre bom, não importa a temperatura. Melhor ainda se, além de conhecer pontos turísticos, fizer umas comprinhas, ir a bons resturantes e museus, você também incluir no roteiro um belo torneio de tênis! Quer se aventurar do outro lado do mundo? Gosta do astral de Miami? Prefere o charme dos torneios no saibro? Curte a tradição de Wimbledon? Ou sua praia são as quadras duras norteamericanas e canadenses?

Se você sempre teve o sonho de viajar para algum torneio, mas não sabia como realizá-lo nem por onde começar, não se preocupe. O Tennis Report reuniu algumas dicas bacanas pra você já planejar as tão sonhadas férias no melhor clima “tenístico”. Papel e caneta na mão? Então, vamos lá!

Escolha o torneio

O calendário é extenso e a temporada, que vai de janeiro a novembro, oferece inúmeras opções pra todo tipo de público. Se o seu sonho é assistir a um grande espetáculo, vá para um dos quatro Grand Slams. Australian Open é o mais democrático e só a sensação de estar do outro lado do planeta, num dos países mais lindos e organizados do mundo, já é uma emoção indescritível. E prepare-se pro calor: em Melbourne o termômetro chega a registrar temperaturas acima dos 40 graus.

Prefere o charme incomparável de Paris? Então seu lugar é Roland Garros! Tudo é lindo, a torcida é eletrizante (apesar da birra que alguns têm dos torcedores franceses) e lá a gente sente orgulho de ser brasileiro pois as lembranças do nosso Guga estão em cada cantinho do complexo. O clima é ameno, em plena primavera europeia (bem friozinho pra nós), e chove bastante. Prepare a capa, a sombrinha e divirta-se!

Se o seu sonho é conhecer a meca do tênis mundial, o destino é Wimbledon. O All England Club respira tradição e é cercado de verde por todos os lados. Sem dúvida, o clube mais lindo do planeta! Toda a história do esporte está nas quadras, nos corredores, nas áreas internas e no museu localizado dentro do complexo. A emoção de estar lá compensa o tempo bipolar característico da capital inglesa. Chove, faz sol, frio e calor, tudo no mesmo dia, mas você nem se importa com isso!

Já o US Open é a Disneylândia do tênis. Lá tudo é grandioso: o complexo Billie Jean King, a quantidade de público (consequentemente de filas), o Arthur Ashe Stadium (maior arena de tênis do mundo) e a festança que rola antes, nos intervalos e depois dos jogos. Sem falar que você está em Nova York, uma das cidades mais fascinantes do globo. Procura por animação? Siga pra lá! Mas não esqueça o boné e o protetor solar porque o sol é de rachar! Não é à toa que o por-do-sol é o mais lindo do circuito!

4grand slamsOs 4 Grand Slams: Australian Open, Roland Garros, Wimbledon e US Open (Fotos: Ariana Brunello)

Se prefere um torneio um pouco menor, mas não menos tradicional e animado, escolha um dos Masters 1000 (ATP) ou Premier Mandatory e Premier 5 (ambos pela WTA). São disputados, tanto na categoria masculina quanto na feminina, em algumas das melhores cidades do mundo: Indian Wells, Miami, Monte Carlo, Roma, Madrid, Montreal/Toronto, Mason (Cincinnati), Shanghai, Paris, Londres (ATP Finals) e Istambul (WTA Championships). Como a estrutura e o público são um pouco menores, a chance de cruzar, conseguir um autógrafo, acompanhar um treino e ver o jogo do seu tenista preferido de pertinho é maior. O Sony Open em Miami (considerado o quinto Grand Slam), Indian Wells na Califórnia, Masters de Roma e o ATP Finals em Londres são os maiores da série. Já Monte Carlo é um charme só! O clube é menor, com uma bela estrutura, uma vista do Mediterrâneo de tirar o fôlego e a todo momento você cruza com os tenistas e suas equipes.

Os torneios em quadra dura também são bem interessantes, em especial os disputados no Canadá. Os demais são indoor, incluindo o ATP Finals em Londres, que é um espetáculo por si só, afinal só lá você assiste aos jogos dos oito melhores da temporada!

Outras boas opções: o ATP 500 e o WTA Premier. São vários torneios mundo afora, mas a vantagem é que não precisamos mais sair do país pra prestigiar um evento da categoria. A Brasil Tennis Cup, etapa da WTA que voltou a ser disputada por aqui, agora em Florianópolis, e o Rio Open, que terá a primeira edição em fevereiro de 2014 na Cidade Maravilhosa, são bons destinos para suas próximas férias. O torneio feminino contou com a participação de Venus Williams este ano. Rafael Nadal e David Ferrer já estão confirmados no Rio Open, que promete uma estrutura jamais vista nos torneios de tênis brasileiros.

Não sabe pra onde ir? Se você tem muitos torneios na listinha de preferidos, escolha a cidade ou o país que mais te agradam ou os que você sonha em conhecer. Uma dica que pode facilitar sua decisão num momento de dúvida.

Masters1000Masters 1000: DJ em Miami e treino de Andy Murray em Monte Carlo (Fotos: Ariana Brunello)

Marque suas férias

Destino escolhido? Hora de correr pro seu chefe, chorar, implorar e marcar a data das férias de acordo com o torneio incluido no roteiro. Quanto antes você se planejar, mais fácil será e menos dor de cabeça você terá!

Defina o roteiro

Tão importante quanto escolher o destino é decidir quantos dias você quer passar no complexo, quantas partidas quer ver e quantos dias vai separar pra “turistar” pela cidade. Se o objetivo é acompanhar o maior número de partidas e ver o máximo de tenistas possíveis em ação, prefira os jogos das primeiras rodadas e oitavas-de-final. Mas se prepare pra maratona!

Quer ver várias partidas com jogadores melhor ranqueados? Reserve um lugar nas quartas-de-final, quando os jogos começam a ficar emocionantes e algumas zebras surpreendem no meio do caminho.

Mas, se você prefere qualidade e não quantidade, vá direto pras semis e pra final. São poucas partidas, a arena estará lotada, certamente você assistirá in loco a alguns dos momentos históricos do esporte e pode ver o seu ídolo campeão. Mas tenha em mente que o contrário também pode acontecer. Esteja preparado pois o tênis é uma caixinha de surpresas!

Garanta os ingressos

Quer garantir bons preços e bons lugares na rodada escolhida? Fique atento à data de início das vendas de ingressos nos sites dos torneios. Geralmente eles começam a ser disponibilizados com meses de antecedência, em alguns casos pouco tempo depois que a última edição do torneio termina. É simples, rápido e super seguro.

Como a distância e o tempo entre a compra e a data dos jogos são grandes, prefira que os tickets sejam entregues em sua casa. Viajar com eles em mãos é uma comodidade a mais e uma preocupação a menos. Pacotes compensam pra quem quiser ir vários dias seguidos, sejam três ou a semana toda. Menos de três dias, o ideal é comprar individualmente.

Se você comprou apenas para um ou dois dias e, já estando lá, quiser ir de novo, sempre há ingressos disponíveis diretamente nas bilheterias, mas o risco de estarem mais caros ou esgotarem é grande.

2009-01-27 20.32.34Bilheterias do Australian Open, em Melbourne Park (Foto: Ariana Brunello)

Preços

Os valores dos ingressos variam bastante de torneio pra torneio, de rodada pra rodada e de fileira pra fileira, o que não é nenhuma novidade. Em alguns torneios fui credenciada, em outros comprei ingresso. Para citar alguns exemplos, no US Open encontrei entradas pra seção noturna no Arthur Ashe Stadium, lá em cima, por 45 dólares (cerca de 105 reais). No setor abaixo, o valor já subia pra no mínimo 200 dólares (466 reais). No Masters de Monte Carlo, o pacote de três dias para quartas-de-final, semi-finais e final custa em média 300 euros (960 reais). Em Miami há cambistas e pessoas que vendem seus ingressos na porta do complexo, em assentos na parte superior da quadra principal do Sony Open por 50 dólares (117 reais). A dica é comprar o quanto antes se quiser pagar menos.

Reserve o hotel e as passagens aéreas

Definidos o destino, o roteiro e os ingressos, hora de reservar o hotel e as passagens aéreas. Primeiro pesquise a localização do complexo: se for em área central e houver hotel por perto, é ali que você deve ficar. Caso queira economizar na hospedagem, não há problema ficar num bairro mais afastado, mas você vai gastar mais tempo durante o trajeto. Se puder ficar na casa de amigos ou parentes, uma economia a mais. Escolha o que for melhor pra você. Passagens costumam ser a parte mais complicada, afinal o caos aéreo já faz parte do roteiro de qualquer viagem, em especial aqui no Brasil. Se tiver pontos de programa de milhas, maravilha! Veja se a pontuação por trecho vale a pena. Caso contrário, a boa e velha dica de sempre: quanto antes você comprar, mais barato vai pagar. Vale a pena pesquisar em todas as companhias aéreas que levam ao destino e comparar os preços.

Transporte para os complexos

O que não falta em país de primeiro mundo é transporte público de qualidade. As cidades que sediam os torneios entram no espírito do esporte e o astral toma conta das ruas, dos metrôs, ônibus e trens. Os complexos dos Grand Slams costumam ser mais afastados das áreas centrais por isso chegue cedo e garanta um lugar nos metrôs que ficam lotados, mas sempre muito organizados, limpos e seguros. A exceção é Melbourne: dependendo de onde você se hospedar é possível ir à pé, apreciando a bela cidade, até o complexo de Melbourne Park ou percorrer um pequeno trecho de “trum”, trem elétrico que cruza toda a cidade. Em alguns lugares, como em Monte Carlo, o trajeto de ônibus ida e volta é grátis pra quem apresentar os ingressos do torneio. Se você não tiver o crachá de acesso livre aos estacionamentos, como em Miami, não compensa alugar carro pois os preços são bem salgados.

DSC02856Estação Southfields do Metrô no clima de Wimbledon (Foto: Ariana Brunello)

Lojas e praças de alimentação

Alimente-se bem antes de ir pros jogos. Na maioria dos torneios, você só encontra fast food, a comida e os sanduiches são bem caros e não são tão bons. Onde comi bem foi no torneio de Monte Carlo: lá tem um restaurante italiano com vários tipos de massas. Se precisar de uma bebida, compre enquanto a partida estiver rolando pois as praças de alimentação ficam lotadas nos intervalos dos jogos e você vai passar uns bons minutos na fila. A dica também vale para as diversas lojas de souvenirs.

Viagem personalizada e exclusiva

Se você não quiser se preocupar com nada disso, nem cuidar de cada detalhe e ainda ter uma experiência única, aposte numa agência de turismo especializada em viagens para torneios. Você vai gastar um pouco mais, mas terá muitos privilégios. No Brasil, o serviço é feito com maestria pela Faberg Tennis Tour, criada em 2005 pelo ex-tenista Fabio Silberberg.

Tudo começou no ATP 500 de Barcelona, quando ele convidou alguns amigos que gostam do esporte e que tinham disponibilidade pra viajar. Foi tão legal que logo depois vieram pedidos de pacotes para Roland Garros, Monte Carlo e Miami. Hoje, Fabio e sua equipe cuidam de todos os detalhes e acompanham os clientes nas viagens, que incluem hospedagem, roteiros com os melhores restaurantes, festas e shows, ingressos e credenciais para os melhores lugares nas quadras e área VIP (eles avaliam até as posições dos raios do sol e a localização estratégica pra ganhar autógrafos dos jogadores!), e ainda levam os clientes pra baterem uma bolinha nas melhores academias de cada cidade.

Mas se o seu orçamento estiver um pouco apertado, não se preocupe: a Faberg cria pacotes de acordo com o que você precisar ou desejar!

Os programas oferecidos são para o Sony Open em Miami, Masters 1000 de Monte Carlo, Masters de Madrid, Masters de Roma, Roland Garros, Wimbledon, US Open, ATP Finals e, a partir de 2014, o Rio Open e o Masters de Toronto também entram na lista. Mas se você quiser um pacote pra qualquer outro torneio, é só pedir que eles fazem pra você!

Gostou da dica, né? Entre em contato com a Faberg e saiba mais: (11) 3093-2828 / www.faberg.com.br

DSCN2175Equipe e clientes Faberg Tennis Tour em jantar de gala com Thiago Alves e Bruno Soares em Miami (Foto: Ariana Brunello)

Alguma dúvida ou dica que não esteja no post? Deixe aqui pra gente no box de comentários!
Dicas anotadas? Então comece a planejar já sua "tennis trip" e conte tudo pra gente quando voltar! Ah, e se tiver um espaço sobrando na mala, já sabe: é só me chamar que eu vou!

voltar ao topo