Menu

Suor, lágrimas e risos de uma campeã

Na LiNa Li, campeã do Australian Open 2014 (Foto: WTA/Getty Images)

Nem Serena Williams, nem Victoria Azarenka. Quem começou o ano com o pé direito e o backhand afiado foi Na Li. A chinesa já havia vencido o torneio de Shenzen e, pra temporada ficar ainda melhor, ela acaba de levantar o nono trofeu da carreira. Um dos mais importantes, senão o principal.

Aos 31 anos, Li é uma das tenistas mais completas e constantes da atualidade e mostra que nunca é tarde pra continuar triunfando e realizando sonhos, mesmo que muita gente diga o contrário. O prognóstico de que a chinesa não conquistaria mais nenhum título de Slam após Roland Garros estava errado. Após duas finais disputadas na Rod Laver Arena, em 2011 contra Kim Clijsters e em 2013 contra Azarenka, agora em 2014 ela fez bonito.

Do outro lado da rede, Dominika Cibulkova, que surpreendeu o mundo do tênis derrotando brilhantemente adversárias até então favoritas ao título, como Maria Sharapova e Agnieska Radwanska, e disputou pela primeira vez uma final de Grand Slam. Profissional desde 2004, a eslovaca é dona de três títulos e seu melhor resultado em Majors foi a semifinal de Roland Garros, em 2009. O que vimos neste Australian Open foi uma final inédita com um título também inédito. E merecido!

Todos os méritos para Na Li, que não se intimidou com a “tenista-sensação” do torneio. A chinesa confirmou o favoritismo dos quatro duelos até então disputados entre elas. Com belos golpes de backhand, foi mais agressiva durante a maior parte do jogo, em especial nos momentos decisivos. A maturidade e a experiência em quadra foram fundamentais. Após algumas quebras de saque, a recuperação de Cibulkova e um tie-break acirrado, Li  fechou o primeiro set em 7-3, após mais de uma hora de jogo.

Alívio para a chinesa, desânimo para a eslovaca. Resultado: um segundo set desequilibrado com direito a pneu, 6-0 em apenas 27 minutos. Nas estatísticas finais foram 34 winners de Na Li, que também contou com a eficiência do primeiro saque, contra apenas 11 de Dominika Cibulkova. Assim, a chinesa conquistou o tão sonhado título do Australian Open e o segundo trofeu de Grand Slam da carreira.

Apesar da derrota, a grande pequena eslovaca também sai com um saldo positivo da Austrália: sobe para a 13ª posição do ranking mundial. Na cerimônia de premiação, lágrimas e risos se misturavam aos aplausos da torcida que lotou a quadra principal do Melbourne Park. Duas atletas talentosas, guerreiras e carismáticas que marcam mais um capítulo na história do esporte.

Uma das mais simpáticas e divertidas tenistas do circuito, Na Li aproveitou o discurso durante a premiação e a coletiva de imprensa para falar sobre algumas questões importantes, com o bom humor de sempre. Para a alegria dos torcedores locais, revelou que o título do Australian Open foi mais importante que o de Roland Garros. Pediu ao agente, Max, que a deixe rica daqui pra frente. Agradeceu o apoio e o trabalho do espanhol Carlos Rodríguez, que substituiu seu marido e já foi treinador da belga Justine Henin. Segundo a chinesa, o novo coach foi o responsável por salvar seu casamento! E, claro, não deixou de brincar e agradecer a Jiang Shan por consertar suas raquetes, dizendo que o marido é um cara legal e muito sortudo!

Segundo o Herald Sun, a chinesa conquistou o título, a torcida e também muitos fãs com “o melhor discurso da história do Australian Open”! Com a vitória em Melbourne, Na Li vai pular do quarto para o terceiro lugar no ranking da WTA, que será divulgado na próxima semana. Ela é a primeira tenista com mais de trinta anos que vence o Australian Open desde Margaret Court, em 1973.

Game, set, match e recorde para Na Li, que leva o primeiro título feminino em Melbourne para seu país!

Veja o discurso da campeã:

voltar ao topo