Menu

Arte de rua no Rio Open 2015

poster toz claroRio Open retratado no poster de Tomaz Viana, o Toz (Imagem: Divulgação)

Tênis é arte. Seja nas jogadas espetaculares, na tradição das regras, no fair play dos jogadores, no design dos equipamentos, nos uniformes ou na cultura própria do esporte. Uma história tão rica que pode ser vista em diversos museus específicos sobre o assunto mundo afora.

Então por que não trazer um pouquinho mais de arte a esse universo tão admirado até mesmo por quem entende pouco do que acontece dentro e fora das quadras? Assim como na confecção dos trofeus, uma das tradições que regem o esporte é ver o espírito do torneio onde ele acontece, retratado em um poster criado por um grande artista local.

Em alguns torneios como Roland Garros, essa prática é mantida há anos e é possível ver todos os posteres comemorativos de edições passadas num cantinho especial do Museu da Federação Francesa de Tênis. O sucesso é tão grande que chegou ao Brasil. Para comemorar a segunda edição, o Rio Open já tem seu espírito retratado em um poster super especial.

DSCN6258Galeria de pôsteres comemorativos de Roland Garros no Museu da FFT (Foto: Ariana Brunello)

No pôster do Rio Open 2015 estão algumas das características mais marcantes da cidade e do torneio carioca: o verde das árvores, o saibro, que remete à cor de terra e, claro, a imagem do Cristo. Quem assina a arte é o grafiteiro Tomaz Viana, o Toz, convidado especialmente para retratar o cenário perfeito da Cidade Maravilhosa com o maior torneio de tênis da América Latina.

Toz não é carioca, nasceu na Bahia, mas chegou ao Rio com 14 anos e hoje, aos 38, tem um trabalho que já faz parte da cidade. "Minha influência do Rio vem do Jardim Botânico. Juntar esses elementos, da terra com o verde, além das bolas e o colorido, que representam alegria, e a própria bola de tênis. O visual do Rio o diferencia de todas as cidades. Misturando com as outras cores que eu já tinha pensado, casou tudo muito bem", comentou Toz.

O artista não é um aficionado pelo esporte e, mesmo sem conhecer muito bem as regras, seu contato com o tênis não é de hoje. Seus pais escolheram o nome Tomaz por causa do tenista Thomaz Koch, com quem Toz chegou a conviver durante alguns anos. O grafiteiro admira o comportamento, o fair play e  o estilo dos jogadores.

O painel remete a visão de movimento do jogo, uma raquete em primeiro plano, com o Cristo e a vegetação atrás, além das bolas que dão a sensação de ação da imagem. Para a assinatura, referência ao autógrafo que os vencedores dão na câmera da transmissão, o grafiteiro conta com a parceria do amigo Bruno Bogossian, o BR, especialista em escrita.

As cores fortes e os elementos utilizados no poster traduzem a energia descontraída da cidade, do verão carioca e do torneio ATP 500 e WTA International. Assim como em grandes torneios do mundo, no Rio Open a arte também faz parte do esporte. Se você estiver por lá, vale a pena dar uma olhada na obra de Toz. A imagem estará disponível no Jockey Club durante os dias da competição, de 16 a 22 de fevereiro.

Mais informações: www.rioopen.com

voltar ao topo