Menu

Uma caixinha de surpresas

 caixargRoland Garros (Foto: Jacques Demarthon/AFP)

O segundo Grand Slam do ano já começou. Ao contrário dos anos anteriores, o torneio sobre a terra francesa traz, nesta edição, mais incerteza e menos apostas.

Se analisarmos por alto tudo o que já rolou este ano, seja no cimento ou no saibro, o início da temporada 2013 pode ser resumido em poucas palavras: uma caixinha de surpresas.

Seja com os Big 4, os jogadores top 10 ou com a nova geração que parece já dar as caras. A zebra botou as patas pra fora e parece ter gostado do passeio que tem feito por alguns lugares do mundo.

 placasRGrodrigoAs famosas placas em Roland Garros

A começar pelos torneios Masters 1000. Vimos Del Potro vencer Andy Murray em Indian Wells, Tommy Haas eliminar Djokovic em Miami, o número 1 do mundo acabar com a invencibilidade de Nadal em Monte Carlo, Federer ser derrotado por Kei Nishikori e Djokovic por Grigor Dimitrov em Madrid, Benoit Paire e Jerzy Janowicz chegarem às semis e Federer perder para Nadal numa final sem grandes emoções em Roma.

Ah, as finais! Djokovic venceu Andy Murray e foi campeão do Australian Open, primeiro Grand Slam do ano. Já em Monte Carlo, o número 1 do mundo fez com Nadal a melhor final da temporada até agora. Um espetáculo de técnica e paixão, do jeitinho que os fãs de tênis gostam.

O espanhol, por sua vez, revelou uma matemática impressionante desde que voltou às quadras no ATP de Viña del Mar: após 7 meses de ausência no circuito, chegou a 8 finais dos 8 torneios que disputou e “mordeu” 6 destes troféus. Muitos não esperavam por esse desempenho fenomenal de Rafael Nadal.

Andy Murray foi vice-campeão no Australian Open e levantou a taça em Miami, numa atuação impecável contra o incrível David Ferrer.

Roger Federer não disputou alguns torneios e, dos quais jogou, só chegou à final em Roma.

big4 nadl-murray djoko federerBig 4: Rafael Nadal, Andy Murray, Novak Djokovic e Roger Federer (Foto: Wessex Scene)

Eles ainda lideram o ranking e devem continuar no topo por um bom tempo, mas em meio a apagões mentais, lesões, declarações impensadas e boatos de aposentadoria, está cada vez mais difícil saber ao certo o destino dos quatro grandes. Mais do que nunca, hoje cada jogo é um capítulo à parte na história do tênis.

Aí vem a pergunta: quem é o favorito ao título de Roland Garros? A resposta virá ao longo das próximas semanas mas, pelo histórico da temporada, o caminho parece estar mais fácil para Nadal e Djokovic que, pelas chaves, devem se enfrentar na semifinal. David Ferrer pode dar trabalho no saibro francês. Lesionados, Murray, Del Potro e Thomaz Bellucci estão fora da disputa.

serena-vs-maria-02Maria Sharapova e Serena Williams (Foto: TennisWorld USA)

Se no masculino a temporada vive algumas incertezas, no feminino Serena Williams reina absoluta. A norte-americana venceu as 11 finais que disputou até agora, mesmo com a boa campanha de Maria Sharapova. Serenão chega pra esquecer a dura derrota sofrida na primeira rodada no ano passado e reconquistar o troféu que ganhou em 2002. Já a russa defende o título da última edição do torneio, quando completou o Career Slam e fez história na capital francesa.

Em meio a altos e baixos, dúvidas e certezas, a roda gigante do tênis continua a girar. A partir desta semana, os olhos do mundo estarão em Roland Garros. E o show não pode parar.

Façam suas apostas!

voltar ao topo