Menu

Nicolás Massú: suor, lágrimas e ouro

 massu atenasNicolás Massú, único tenista a conquistar duas medalhas de ouro na mesma edição dos Jogos Olímpicos, em Atenas 2004 (Foto: Agência/Reuters)

Superação: passar por todas as dificuldades, ir além dos limites, transcender, triunfar. O filósofo grego Platão já dizia: "Vencer a si próprio é a maior de todas as vitórias". Mas, melhor do que qualquer frase ou definição é ver essa incrível capacidade virar realidade. Não apenas uma vez. Foi assim, pouco a pouco, superando todos os limites físicos e mentais, que Nicolás Massú entrou definitivamente para a história do esporte mundial. O palco: Grécia, berço da filosofia e do esporte.

Foi em 2004, em Atenas, que o chileno se tornou o único tenista a conquistar duas medalhas de ouro na mesma edição dos Jogos Olímpicos. A primeira, nas duplas, veio ao lado de Fernando González, após vitória sobre os irmãos Bryan nas quartas-de-final e depois de uma batalha de 3 horas e 43 minutos na final diante de Rainer Schuettler e Nicolas Kiefer. A segunda, em simples, veio para coroar o duelo final de 4 horas com Mardy Fish, e uma dura estreia contra Guga Kuerten. As partidas, que refletiram o verdadeiro espírito da Grécia Antiga, mudaram para sempre a vida “del Vampiro”, apelido pelo qual é conhecido no circuito.

Com o início da Olimpíada no Rio de Janeiro, os olhos do mundo se voltam para mais uma edição do maior espetáculo esportivo do planeta e o tênis relembra o feito histórico de uma das lendas do esporte chileno. O Tennis Report bateu um papo com Nicolás Massú, durante sua última visita ao Brasil. O campeão dos ATPs de Buenos Aires, Amersfoort, Palermo, Kitzbuhel e Brasil Open 2006, falou sobre a carreira, a paixão pela Copa Davis, a relação com Fernando González e Marcelo Ríos, os recentes casos de doping no esporte, os bons momentos vividos no Brasil, a conquista olímpica e muito mais. Confira!

Leia mais ...

Tênis no paraiso

 rqr-2Rio Quente Experience Tennis Weekend 2016

Um oásis em meio à natureza exuberante que compõe a paisagem do Cerrado brasileiro. São dezoito nascentes de águas quentes e correntes que formam as piscinas termais do Parque das Fontes, aberto 24 horas por dia. Outra atração é o Hot Park, eleito pelo segundo ano consecutivo um dos 10 melhores parques aquáticos do mundo pelo TripAdvisor, que conta com a Praia do Cerrado, toboáguas, o Xpirado, além do Bird Land que abriga 300 animais recolhidos pelo IBAMA. A mega tirolesa, com visão panorâmica de todo o complexo, a 60 metros de altura, e o Eko Aventura Park também são imperdíveis para os amantes de esportes de aventura.

O Rio Quente Resorts é, sem dúvida, um destino imperdível. Estar no complexo de 497 mil metros quadrados, eleito por dez anos o melhor resort do Brasil pela revista Viagem e Turismo, é uma experiência incrível. Mas, acompanhar grandes nomes do esporte em ação e jogar tênis neste paraiso é uma experiência perfeita e inesquecível. É nesse clima que, há três anos, acontece o Rio Quente Experience Tennis Weekend, com clínicas de tênis, torneio Pro-Am e belas exibições para os hóspedes e convidados, nas charmosas quadras do complexo.

Quadras que, por treze anos, foram palco do Future Tennis Classic Rio Quente Resorts, onde muitos  brasileiros conquistaram seus primeiros pontos no ranking da ATP, entre eles Franco Ferreiro, André Ghem, Marcelo Demoliner, Alexandre Simoni, Caio Zampieri, Julio Silva, Marcelo Melo e Bruno Soares. Gilles Muller, de Luxemburgo, e os argentinos Leonardo Mayer e Brian Dabul também ergueram seus trofeus por lá. Em 2012, o torneio foi elevado à categoria Challenger e passou a ser chamado Rio Quente Resorts ATP Challenger Tour, distribuindo US$ 35 mil em prêmios e hospedagem. Foi lá que Guilherme Clezar conquistou o primeiro título de simples, em 2012. No ano seguinte, Fabiano de Paula e Marcelo Demoliner levaram o caneco nas duplas.

Leia mais ...

Aberta a temporada de exibições

 exibição nalba rafaDavid Nalbandian fará sua despedida das quadras em exibição com Rafael Nadal na Argentina

Todo fim de ano é assim. Depois dos Grand Slams, dos Masters 250, 500 e 1000, do WTA Championships e do ATP Finals, chega a hora das partidas de exibição. Para os jogadores, oportunidade de faturar uma (boa) graninha a mais ou de se despedir oficialmente das quadras depois que anunciam a aposentadoria. Para o público, a chance de ver alguns ídolos de perto, esquecer algumas dolorosas derrotas e encerrar o ano em clima de festa!

Há quem diga que essas divertidas partidas atrapalhem o início da próxima temporada, que os tenistas deveriam tirar uma folguinha a mais, evitar viagens longas sem necessidade, afinal o calendário é extenso e muitas vezes injusto. Mas se eles vêm até nós, quem resiste? Um dos lugares onde as exibições são sempre muito esperadas é a América Latina, justamente por recebermos poucos eventos grandes de tênis, o que faz com que os líderes do ranking quase nunca apareçam por aqui.

No ano passado, Brasil, Argentina e Colômbia receberam a Gillette Federer Tour, que contou com a presença de Roger Federer, Tommy Haas, Jo-Wilfried Tsonga, Thomaz Bellucci, Bruno Soares, Marcelo Melo, Serena Williams, Maria Sharapova, Victoria Azarenka, Caroline Wozniacki, Bob e Mike Bryan. O público foi ao delírio! E o Tennis Report marcou presença no Ginásio do Ibirapuera, veja a galeria de fotos: http://bit.ly/18TllfE

Leia mais ...
Assinar este feed RSS